Ansiedade: o Mal do Século? - Status Seguros

Ínicio > Bem estar > Ansiedade: o Mal do Século?

Bem estar

Ansiedade: o Mal do Século?

Status Seguros 0 13

Ansiedade: o Mal do Século?

Será que você tem sintomas de ansiedade? Ao contrário do que muita gente pensa, a ansiedade pode afetar qualquer pessoa, a qualquer hora e aparentemente “sem motivo”. Por isso, é importante sabermos identificar e tratar esse mal que só cresce a cada dia.

O que é Ansiedade?

A ansiedade é uma perturbação psíquica decorrente da excessiva excitação do sistema nervoso central. Ela caracteriza-se por uma inquietação quase constante, preocupação, angústia e falta de sossego, provocando mau estar e constante tensão.

A ansiedade é uma reação normal diante de situações que podem provocar medo, dúvida ou expectativa. É considerada normal a ansiedade que se manifesta nas horas que antecedem, por exemplo, uma entrevista de emprego, a publicação dos aprovados em um concurso, o nascimento de um filho, uma viagem, uma cirurgia delicada, ou um problema financeiro. Nesses casos, a ansiedade funciona como um sinal que prepara a pessoa para enfrentar o desafio e, mesmo que ele não seja superado, favorece sua adaptação às novas condições de vida.

Porém, quando a pessoa tem sintomas recorrentes de aflição, angústia, perturbação do espírito causada pela incerteza, relação com qualquer contexto de perigo, medo, insônia constante, prejudicando o dia a dia de forma constante, aí sim isso pode ser considerado patológico.

Sintomas da Ansiedade

Existem muitos sintomas que podem indicar um caso de ansiedade. Como cada pessoa tem uma química única, o número, tipo, intensidade e frequência dos sintomas de ansiedade irão variar muito de pessoa para pessoa, mas seguem alguns dos principais:

  • Tremores e frio
  • Dores no peito
  • Fadiga crônica
  • Necessidade de açúcar, doces, ou chocolate
  • Palpitações
  • Contração muscular
  • Dormência e formigamento, perda de sensibilidade
  • Tensão e dores Musculares persistentes
  • Necessidade frequente de urinar
  • Preocupações exageradas com saúde, dinheiro, família ou trabalho
  • Dificuldade em respirar
  • Tonturas
  • Pensamentos, melodias, conceitos persistentes
  • Vazio emocional
  • Preocupações, tensões ou medos exagerados (a pessoa não consegue relaxar, causando insônia)
  • Falta de controle sobre pensamentos, imagens ou atitudes, que se repetem independentemente da vontade
  • Medo exagerado de morrer ou de um perigo iminente

Causas da Ansiedade

O gatilho para a ansiedade é qualquer coisa que seja interpretada pelo indivíduo como prejudicial, o que é extremamente variável de pessoa para pessoa, pois os fatos não são interpretadas da mesma forma por todo mundo. Uma pessoa pode ficar extremamente ansiosa no dia anterior a uma prova — talvez a ponto de passar mal — ter insônia, sentir náuseas; enquanto outra pessoa lidar de forma mais natural com isso. Por quê? Porque uma interpreta essa prova como uma possível “rasteira” que a vida pode estar lhe dando, acha que por mais que tenha se preparado nunca será bem sucedida, e que será terrível ser reprovada. A outra pessoa, aquela que encarou a prova mais tranquilamente, considerou que essa prova é uma das possibilidades da vida dela, dando muito menos importância às possibilidades negativas.

Entre as causas mais comuns que disparam a ansiedade, são algumas: o primeiro dia em novo emprego, o nascimento de um filho, casamento, cirurgias, ser demitido, comprar uma casa e problemas com a justiça. Porém, lembrando mais uma vez que isso sempre é muito individual.

Tratamento para a Ansiedade

É importante entender que a ansiedade, quando passa dos níveis considerados normais, é considerada uma doença. Essa doença é tão séria como qualquer outra (talvez mais!) e, por isso, deve ser tratada apenas com recomendação médica de um psiquiatra.

Alguns medicamentos utilizados no tratamento da ansiedade generalizada são os remédios ansiolíticos, antidepressivos ou calmantes, como:

  • Alprazolam
  • Diazepam
  • Fluoxetina
  • Amitriptilina
  • Valeriana

Esses remédios, que sempre devem ser indicados pelo psiquiatra, normalmente atuam no sistema nervoso de forma a diminuir a preocupação exagerada, tensão, medo ou pavor de que algo mal possa acontecer, sintomas característicos da ansiedade. Estes remédios ansiolíticos podem ser usados no tratamento para ansiedade e síndrome do pânico, mas não devem ser usados de forma prolongada e descontrolada, pois podem provocar dependência.

Dicas para Controlar a Ansiedade

Como dito acima, a ansiedade é uma doença e sempre deve ser tratada sob orientação de um profissional de saúde. Existem, porém, práticas que comprovadamente ajudam a prevenir a até tratar casos de ansiedade. Elas nunca devem substituir um tratamento médico, mas servem sim como prevenção e formas de melhoria na qualidade de vida da pessoa com ansiedade.

Prática de Exercícios Físicos

Controle sua Respiração

Melhore a Alimentação

Ioga

Aromaterapia

 

Fonte: belezaesaude.com

Share

Publicações Relacionadas

Gostou da Publicação? Deixe seu comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicações Mais Lidas

Que tal parcelar seu seguro auto em até 10X sem juros?