Por que na hora de fazer a cotação auto é obrigatório informar o CPF?

Publicado em: 13 de setembro de 2017.

Todas as pessoas que buscam por um seguro auto precisam dar o seu CPF para a seguradora e essa é uma requisição padrão.

Assim, o interessado não precisa achar que a corretora está solicitando isso por alguma coisa especial:

na verdade, é porque ela precisa conhecer quem é esse motorista para que possa estabelecer qual será o custo do seguro.

Para que a Status Seguro possa realizar uma cotação de seguro auto, por exemplo, ela deverá saber onde o motorista reside, qual é o tipo de veículo que ele tem registrado, quem é que dirige o veículo com a sua permissão e outros dados. Todas essas informações vão compor a cotação: afinal, a corretora tem de saber que tipos de riscos estão relacionados a essa cobertura e com que tipo de franquias ela poderá ter de lidar.

O que acontece com as informações que a seguradora consegue?

Quando as seguradoras ficam sabendo das questões que foram citadas acima, os seus profissionais decidem se aquele veículo pode ser segurado ou não. No caso de a corretora negar essa cobertura, então o cliente ainda poderá tentar outra proposta.

Também é com as informações que se veem no CPF que a companhia de seguros, acertando que vai fazer a cobertura, estabelece qual será a franquia e outros tipos de valores. Vale dizer que a consulta que se faz  com o CPF costuma ser única por proposta: considerando que o cliente queira as coberturas adicionais depois, por exemplo, não é comum que a seguradora faça mais uma procura.

Em quais bancos de dados as informações do CPF são achadas?

O Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN) é um dos locais que a corretora de seguros pode procurar para saber sobre o CPF. Contudo, as corretoras fazem uma procura bastante geral: todas as informações que ela visualizar a respeito do CPF serão consideradas.

Na realidade, até mesmo o automóvel que será segurado (ou não) é pesquisado por essa companhia de seguros. Afinal, quando o automóvel não é do país ou tem uma manutenção cara demais, isso refletirá no que a corretora vai gastar na ocorrência de uma perda total, por exemplo.

A seguradora visualiza informações financeiras também?

É possível que a empresa de seguros confira se o cliente está com restrições no nome porque precisa de certeza de que todas as parcelas da apólice serão pagas. Mais uma vez, o CPF torna-se fundamental, já que todas as informações fiscais ficam nessa documentação.

Quem tem esse documento suspenso, por exemplo, dificilmente vai conseguir uma cotação de seguro auto até a regularização. Se a pessoa perdeu aquele documento e está esperando o novo, a consulta poderá ser feita: sendo a numeração a mesma, a corretora conseguirá os dados da mesma forma. Todavia, ela pode requisitar o comprovante de que se requisitou segunda via. São esses os trâmites que a Status Seguros usa, lembrando que ela parcela o seguro auto em até 8x sem juros.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *